Exposição “Santos-Dumont, de próprio punho” chega a Dumont - Taller Comunicação

Exposição “Santos-Dumont, de próprio punho” chega a Dumont

 

Após a temporada em São José dos Campos (SP), o projeto cultural “Santos-Dumont, de próprio punho” chega à cidade paulista de Dumont, no interior de São Paulo, trazendo as novas edições dos livros autobiográficos do inventor e uma exposição sobre o “Pai da Aviação”. A iniciativa conta com o apoio do Programa Nacional de Apoio à Cultura e patrocínio exclusivo da 3M do Brasil.

Integrado na programação da “Semana da Asa” da Prefeitura de Dumont, o projeto realizará, no próximo dia 19/10 às 17 horas, o lançamento das novas edições dos livros autobiográficos de Alberto Santos-Dumont: “Dans L’Air – No Ar” (1904) e “O Que Eu Vi – O Que Nós Veremos” (1918).

A partir do dia 19/10, também estará em exposição na cidade a mostra “Santos-Dumont, de próprio punho”. Os visitantes poderão ver, gratuitamente, centenas de fotos, vídeos, músicas, colecionáveis, cartas, documentos, livros, jornais de época e caricaturas referentes ao aviador, além de maquetes dos balões, dirigíveis e aviões. A montagem também contará com peças do Instituto Cultural Santos-Dumont.

14-Bis Multimídia

O grande destaque da exposição é uma maquete do avião 14-Bis em forma de ilha multimídia. Equipada com projetor, nove monitores LCD, controles remotos e fones de ouvido, oferece aos visitantes a oportunidade de conhecer, de forma interativa, vários aspectos da vida de Santos-Dumont e “viajar” por diversas cidades que preservam a sua história (no Brasil, França e Portugal).

Muitas atrações na “Terra do Inventor”

Nascido em Palmira (MG), atual cidade de Santos-Dumont, o inventor brasileiro passou parte da infância e adolescência na Fazenda Arindeúva, que chegou a ser a maior plantação de café do mundo e deu origem à cidade de Dumont. Em seu livro “Dans L’Air – No Ar”, Alberto recordou que as suas primeiras “aulas de mecânica” foram na usina de beneficiamento, nos locomóveis e locomotivas da plantação. “Lá vivi os dias mais felizes da minha vida”, resumia o aviador.

Grande parte dessa história pode ser conhecida no Museu Histórico Santos-Dumont, instalado com a prefeitura na antiga sede da fazenda. Reaberto ao público a partir do próximo dia 19, o espaço passou por várias remodelações, recuperações e ampliação do acervo, graças à parceria firmada entre o projeto “Santos-Dumont, de próprio punho” e a atual administração da cidade.

Entre os destaques do acervo do museu de Dumont, está uma escrivaninha que pertenceu ao inventor, uma das locomotivas a vapor Baldwin da fazenda, o tronco do pinheiro plantado por Alberto em 1891, uma tela do pintor belga George Wambach retratando o contorno da Torre Eiffel com o dirigível n° 6, uma réplica do escrínio que preserva o coração do aviador no Museu Aeroespacial do Rio de Janeiro, além de outras esculturas e dezenas de fotos retratando momentos da vida de Santos-Dumont.  

Onde e Quando

O lançamento do projeto “Santos-Dumont, de próprio punho” na cidade de Dumont acontecerá na próxima segunda-feira (19 de outubro), às 17 horas, no Museu Histórico Santos-Dumont, localizado na Praça Josefina Negri, 21, no centro da cidade. Na solenidade estarão presentes o prefeito de Dumont, Adelino da Silva Carneiro, a vice-prefeita e gestora da cultura, Rosiane Marina Fernandez Dias, e o jornalista Douglas Cavallari, idealizador do projeto.

A visitação gratuita poderá ser feita de segunda a sexta-feira, das 9 às 12 horas e das 13 às 16 horas. Escolas interessadas em visitar a exposição podem agendar horários especiais pelo telefone (16) 3944-1311.

No museu, os visitantes também poderão adquirir, em conjunto, as reedições das autobiografias “Dans L’Air – No Ar” (1904) e “O Que Eu Vi – O Que Nós Veremos” (1918). O valor é de R$ 35,00 e toda a renda obtida com a venda dos livros será aplicada em melhorias e ampliação do acervo.

13/10/2009

.

Texto em Word: Imagem em Alta:  Imagem em Baixa: Mais Imagens: 
   
Palavras-chave: