Autobiografias de Santos-Dumont ganham novas edições - Taller Comunicação

Autobiografias de Santos-Dumont ganham novas edições

 

Após passarem vários anos fora de catálogo, os dois livros autobiográficos lançados por Alberto Santos-Dumont ganham uma reedição em conjunto. As obras “Dans L’Air – No Ar” (1904) e “O Que Eu Vi – O Que Nós Veremos” (1918) estão agora reunidas na coleção “Santos-Dumont, de próprio punho”, iniciativa da editora Taller com patrocínio exclusivo da 3M, dentro do Programa Nacional de Apoio à Cultura do MinC.

Em suas autobiografias, Santos-Dumont relata os principais momentos da sua vida, desde a infância até as suas maiores conquistas, como o primeiro vôo homologado da história. Em “Dans L’Air – No Ar”, o inventor recorda a vida na maior fazenda de café do mundo, a mudança para Paris e a glória como construtor de balões e dirigíveis. Em “O Que Eu Vi – O Que Nós Veremos”, relembra os desafios de fazer voar as máquinas mais pesadas que o ar, como o 14-Bis (1906) e o Demoiselle (1907).

A reedição conjunta das obras, com tiragem de 3.000 exemplares, resgata um conteúdo indispensável para todos que desejam conhecer profundamente quem foi Alberto Santos-Dumont. A última tradução de “Dans L’Air” para o português havia sido lançada em 1986 e a do livro “O Que Eu Vi – O Que Nós Veremos” em 2002.

Muito Além de uma Reedição

Para garantir a máxima fidelidade da coleção aos conteúdos originais, o jornalista Douglas Cavallari de Santana, idealizador do projeto, adquiriu as primeiras edições de ambos os livros e visitou os principais museus de história e aviação do Brasil e da França, em busca das fotografias originais utilizadas nas primeiras edições e de outros detalhes sobre a vida e os inventos de Santos-Dumont.

Além da adequação dos conteúdos às novas regras ortográficas, o livro “Dans L’Air”, escrito originalmente em francês, ganhou uma nova tradução, feita pelo experiente tradutor parisiense Luc Matheron. Com o trabalho, muitos detalhes às vezes omitidos nas edições anteriores em português voltaram à tona. Um dos exemplos é o polêmico parágrafo onde o mineiro Santos-Dumont afirma ter nascido na fazenda de café da família, na atual cidade de Dumont, em São Paulo. Em edições anteriores, o “nascido” chegou a ser trocado por “criado”, de forma a ficar “politicamente correto”.

Na produção da coleção, a equipe da Taller também procurou trazer aos leitores uma série de detalhes especiais. Para que as páginas dos livros ficassem com um aspecto semelhante aos antigos jornais e revistas impressos pelo sistema de rotogravura em cores, muito usado no início do século XX, elas foram impressas em papel pólen areia com uma tinta em cor especial, tipo sépia.

Na caixa e nas capas dos livros, foi reproduzida a trama da legítima palha “panamá”, a mesma usada no conhecido chapéu do aviador. A fotomontagem de Santos-Dumont à mesa foi feita com o uso de um antigo porta-retrato francês. No interior da caixa e das capas, está reproduzido o tecido do tampo da escrivaninha que pertenceu ao inventor (atualmente é parte do acervo do museu de Dumont/SP) e o seu famoso “ex-libris”.

A apresentação da coleção é feita por duas personalidades fundamentais na história da aviação nacional e para a valorização e preservação da memória do aviador: Ozires Silva, membro fundador e primeiro presidente da Embraer, e Jorge Henrique Dumont Dodsworth, sobrinho-neto de Santos-Dumont e um grande colaborador dos museus dedicados ao “Pai da Aviação”.

Compromisso com a Responsabilidade Social

Desde a sua criação, um dos maiores compromissos do projeto cultural “Santos-Dumont, de próprio punho” é tornar as obras do “Pai da Aviação” acessíveis ao maior número possível de brasileiros e gerar, com a receita da venda dos exemplares, uma renda valiosa para diversas entidades.

As reedições poderão ser encontradas em diversos espaços culturais no Brasil. As instituições que colaboraram com o projeto – Museu Paulista da USP (São Paulo/SP), Museu Casarão Santos-Dumont (Dumont/SP), Museu Aeroespacial da FAB (Rio de Janeiro/RJ) e Fundação Casa de Cabangu (Santos-Dumont/MG) – receberam a doação de 100 exemplares da coleção para a venda aos visitantes. A Fundação Cultural Cassiano Ricardo, de São José dos Campos, também ganhou 100 exemplares, que foram repassados às bibliotecas públicas da cidade, inclusive ao CTA-ITA. Houve ainda o repasse de 600 exemplares das obras às bibliotecas públicas de todo o país (indicadas pelo Ministério da Cultura) e aos aeroclubes brasileiros.

Algumas instituições culturais em Portugal e na França também receberam materiais do projeto, como o Museu do Ar de Portugal (em reconhecimento ao trabalho exemplar que realiza na divulgação da memória de Santos-Dumont) e os centros de documentação do Aéro-Club de France, Federation Francaise d’Aerostation, Musée de l’Air et de l´Espace (Le Borget) e Lycée Santos-Dumont, em Paris.

No decorrer do projeto “Santos-Dumont, de próprio punho”, ainda houve a promoção de melhorias em alguns espaços culturais. No Museu Casarão Santos-Dumont (Dumont/SP), por exemplo, os executores do projeto limparam, digitalizaram e catalogaram todas as imagens do acervo e fizeram a doação de um climatizador e desumidificador, para melhor conservar as fotografias. A Fundação Casa de Cabangu recebeu do coordenador do projeto a doação de uma foto raríssima de Santos-Dumont se divertindo no lago da fazenda.

Entidades que receberam os livros em doação

- Ministério da Cultura
- Fundação Casa de Rui Barbosa
- Fundação Biblioteca Nacional
- Sistemas estaduais de bibliotecas públicas, nos 27 estados brasileiros
- Museu Paulista da USP
- Museu Aeroespacial da FAB
- Museu Histórico de Dumont
- Museu Casa de Cabangu
- Museu Aeronáutico da Base Aérea de Santos
- Museu Asas de um Sonho
- Fundação Cultural Cassiano Ricardo de São José dos Campos
- CTA-ITA
- Fundação Santos-Dumont
- Instituto Cultural Santos-Dumont
- Força Aérea Brasileira
- Grupamento Aéreo “João Negrão” – Polícia Militar de São Paulo
- Bibliotecas dos aeroclubes brasileiros
- Museu do Ar de Portugal
- Biblioteca da Universidade da Beira Interior – Engenharia Aeronáutica – Portugal
- Musée de l´air et de l´espace (Le Borget) – França
- Aéro-Club de France
- Lycée Santos-Dumont – França
- Federation Francaise d’Aerostation – França
- Serviço diplomático da França no Brasil

Ficha Técnica

Coleção “Santos-Dumont, de próprio punho”
Volume I: Dans L´Air – No Ar (1904), com 212 páginas.
Volume II: O Que Eu Vi – O Que Nós Veremos (1918), com 68 páginas.
ISBN: 978-85-62342-00-4
Preço: R$ 35,00

Pontos de Venda

Na fase de lançamento, os livros estão à venda nos seguintes locais:

- Site do projeto – www.santosdumontdepropriopunho.com.br 

- Livraria Martins Fontes – www.martinsfontespaulista.com.br 

- Lojinhas de museus que receberam exemplares da editora em doação.

A coleção também está disponível para leitura e download na página do projeto na internet.

19/05/2009

.

Texto em Word: Imagem em Alta:  Imagem em Baixa: Mais Imagens: 
       
Palavras-chave: ,